Viagens ao Inconsciente


13/03/2007


(Fragmentos do meu cotidiano solitário)

A minha casa é bem pequena

Por isso eu a reduzo

Assim, posso de vez enquanto

Surpreender-me com novos espaços

Hoje

Eu descobri uma poltrona de dois lugares

Que estava há algum tempo quieta

Imóvel

Sentei-me, peguei um velho jornal de literatura

Recostei a cabeça no seu braço direito

E li um poema de Manoel de Barros:

(excerto)

O chão reproduz

do mar

o chão reproduz para o mar

o chão

reproduz com o mar

(...)

Escrito por nelson barroso às 17h04
[ ] [ envie esta mensagem ]

No lugar da mulher

Deitado entre os lençóis

Em silêncio e ditoso

O violão

Adormeci sonhando

Olhei acima, um clarão

Ao redor, breu

Tentei uns passos

Logo parei, atônito

O som dos meus passos reverberaram

Esfreguei os olhos, forcei a visão

Nada!

Só breu, e um rasgo de luz que vinha do alto

Era um buraco no céu?

Eu via algumas estrelas

Pude reconhecer o Cruzeiro do Sul

Pelo menos esta orientação eu detinha

Mas, pra que?

Norte, sul, leste, oeste...

Sentei

Com as mãos apalpei o solo

Era de madeira

Dei dois toques como quem bate na porta

Nova reverberação

No entanto, percebi uma vibração

Som de cordas...

Escrito por nelson barroso às 16h22
[ ] [ envie esta mensagem ]
Busca na Web:

Perfil

Meu perfil
BRASIL, Sudeste, NITEROI, Homem

Histórico