Viagens ao Inconsciente


04/12/2006


Correm as horas pelo dia enquanto construo castelos com suas falas que retornam em mim a ressuscitar versos que consumimos. O mundo ficou impregnado da sua presença, em cada esquina da cidade, do pensar, tem sua voz precisa em mim a fazer-me parar e ver que as coisas são nada ou nada sou, um vão sem você no mundo. Acho. Que de tanto desejo você está inscrita na minha carne.

Ressaca no mar. Relâmpagos! Ventania com chuva. Move-se dentro de mim uma felicidade como se minha substância fizesse parte da natureza que sacolejava crua. Neste instante vou à varanda sorrindo. Sinto as luzes que descarregam milhões de quilowatts clareando a imensidão também do meu olhar. O contato é direto. Não há nenhum intermediário para qualquer interpretação. É meu ser tomado pela manifestação daquelas forças. Deixo a água me chicotear o rosto, os seios, os braços. Todo meu corpo recebe como num papel o traço seu desenho seu esboço fazendo-me sentir viva. Divinamente viva. Assim eu, um bicho do sol, diante da sua saliente sedução, me entrego num gozo extasiante.

Nunca diga que me ama me ame intensamente como sabe fazer como faz finja que não quer que tem sono ponha sua roupa normal de dormir ponha sua cinta o soutian converse algo sobre o trabalho acenda um cigarro não me toque peça um cafuné vire de costas suspire reclame de cansaço fale algo engraçado me faça rir ria me faça rir de chorar receba um carinho no rosto me olhe fundo nos olhos fale que está com creme na pele com ácido no rosto não me toque receba meu toque em seu corpo impassível finja que quase dorme reclame do meu cochilo da minha mão que escorre diga lá vai ele me dê um leve empurrão com a bunda se aconchegue ao meu corpo receba meu cheiro no seu ouvido no cangote de repente mansa responda com um carinho com um ajeito pra receber mais carinho mas nunca diga que me ama me ame me ame ardente me peça pra cuidar de você avance me segue até eu quase gozar e pare pra ver sorria linda fale que gosta de ver fale é bonito tire a roupa jogue a perna por cima de mim mas não diga que me ama me ame intensamente ofegante enlouquecida língua nos ouvidos movimento movimento barulhos na cama seios na boca nos lábios nos dentes umbigo vagina sons e vozes grumidos de prazer mas nem tente dizer que me ama goze ame gozar tremendo sorrindo me ame!

Escrito por nelson barroso às 15h58
[ ] [ envie esta mensagem ]
Busca na Web:

Perfil

Meu perfil
BRASIL, Sudeste, NITEROI, Homem

Histórico